LOGO-LDA-PNG.png
COPA-OPALA.png

 

COPA OPALA

 

REGULAMENTO TÉCNICO  


ARTIGO 1 = VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS
ARTIGO 2: CARROCERIAS E DIMENSÕES
ARTIGO 3: PESO
ARTIGO 4: MOTOR
ARTIGO 5: EMBREAGEM
ARTIGO 6: ESCAPAMENTO
ARTIGO 7: SISTEMA DE ARREFECIMENTO
ARTIGO 8: COMBUSTÍVEL
ARTIGO 9: LUBRIFICAÇÃO
ARTIGO 10: SISTEMA ELÉTRICO
ARTIGO 11: TRANSMISSÃO PARA AS RODAS
ARTIGO 12: SUSPENSÃO E DIREÇÃO
ARTIGO 13: FREIOS
ARTIGO 14: RODAS E PNEUS
ARTIGO 15: EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA
ARTIGO 16: DAS VISTORIAS
ARTIGO 17: CONDIÇÕES GERAIS

 

 

ARTIGO 1: VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS
1.1 – VEÍCULOS ADMITIDOS Opala 2 e 4 portas fabricados de 1974 a 1992.
1.2- MODIFICAÇÕES PERMITIDAS
Os itens omissos neste Regulamento deveram encontrar-se nas suas características originais. Quando
este Regulamento não permitir clara e especificamente que a peça ou componente possa receber algum
tipo de trabalho, esta deverá ser mantida original. Exceto para soldagens de fixação das buchas
1.3- EQUIPAMENTOS QUE DEVEM SER RETIRADOS
Proteção antirruído (todas as partes). Todos bancos e forrações internas.
Painéis de acabamento das laterais e Porta luvas, todos tapetes inclusive do porta malas. Cinto de
segurança (todos originais). Arco e forro do teto. Vidros laterais, traseiros e seus acionamentos. Faróis,
Para choque dianteiro e traseiro e seus suportes de fixação. . Recortes internos do reforço das
portas/capô/laterais traseiras.


ARTIGO 2 - CARROCERIA E DIMENSÕES
2.1 - BANCO É Obrigatório o uso do banco do tipo competição, com apoio para cabeça. O banco deverá
ser fixado por 4 (quatro) parafusos com porca e arruelas de aço de 8 mm. O suporte do banco devera ser
fixado na sua posição original.
2.2 - TELA DE PROTEÇÃO
É obrigatório a instalação de policarbonato (espessura mínima de 3mm), com exceção das janelas das
portas onde do lado do piloto é obrigatório a colocação de tela especial de proteção e do lado do
passageiro deverá ficar livre. É opcional a colocação de janelas em policarbonato 3/mm em ambas as
portas.
2.3 - DIMENSÕES
Comprimento máximo de 4.738 mm, bitola dianteira máxima 1.420 mm e Bitola traseira máxima 1.398
mm. Distância entre eixos mínima de 2.667 mm (com caster zerado).
2.4 - PARA BRISA
É obrigatório o uso de para brisa de vidro laminado, proibido o uso de policarbonato.
2.5 - PAREDE CORTA FOGO Obrigatório a instalação de uma chapa metálica de aço 1,5 mm ou alumínio
de 3 mm rígida que estanque ao fogo e aos líquidos, separando o habitáculo do piloto do porta-malas.

2.6 - PARTE INTERNA
Não é permitido instalar qualquer outro objeto dentro do habitáculo do piloto , exceto extintor de
incêndio, bateria, garrafa de líquido para beber, instrumentos.
2.7 – PARTE EXTERNA
Não é permitida a modificação da carroceria ou do monobloco.
2.8 - PARALAMAS Somente será permitido (rebater), ficando, porém, a parte externa original.
2.9 - PAINEL DE INSTRUMENTOS Será permitida a retirada do painel original de instrumentos.
Não é permitido o uso de instrumentos eletrônicos para captação de dados.
2.10 - ESPELHOS RETROVISORES
Obrigatório a permanência de 3 (três) espelhos retrovisores, de livre marca e modelo, sendo um espelho
interno do tipo panorâmico e dois externos, um para o lado direito e um para o lado esquerdo.
2.11 - SPOILERS Proibido o uso de spoilers.
2.12 - LONGARINAS
Original É permitido o reforço das longarinas em sua parte dianteira.
2.13 – SAIAS LATERAIS
Proibido o uso de saias laterais.
2.14 – ASA TRASEIRA
Proibido o uso de asa traseira.
2.15 – TRAVA DE SEGURANÇA
Obrigatória a instalação de travas adicionais para o capô dianteiro e traseiro, livre marca e modelo.
2.16 – GANCHO DE REBOQUE
Obrigatório a colocação de gancho de reboque na dianteira e traseira do veículo. Este gancho deve ser
metálico de diâmetro mínimo de 10 mm, com a cor contrastante com a cor do veículo para facilitar a
localização do gancho, fixados com no mínimo 2 parafusos de 8 mm . É permitido o uso de cabo de aço.
2.17 – CARROCERIA

Será permitido e de uso opcional frente de fibra de vidro modelo 79
2.18 - MONOBLOCO
É permitido a modificação na coluna do eixo cardam, para sua acomodação na parte traseira final.
2.19 - TAMPA DO MOTOR
A tampa do motor poderá permanecer aberta em sua parte posterior, para saída de ar do motor. Essa
abertura não poderá exceder a 10cm em sua altura.
2.20 - NUMERAIS Obrigatoriamente na parte traseira posterior a roda. Os numerais são de livre design,
podendo ser utilizado também no topo da capota.


ARTIGO 3 - PESO
3.1 - Fica estabelecido que o peso mínimo total dos veículos ao final das competições e das tomadas de
tempo oficiais é de 1150 (um mil cento e cinquenta) Kg, veículo com lubrificantes do motor e câmbio,
fluído de freio, líquido de arrefecimento e combustível nos níveis em que terminarem as competições e
as tomadas de tempo acima referidas.


ARTIGO 4 - MOTOR
4.1 - BLOCO DO MOTOR
Bloco do Motor- 6 cilindros Opala ou Silverado 4100 cc., permitido rebaixar a parte superior do bloco do
motor. Permitida a adição de materiais vedadores ou solda somente p/ conserto de trincas ou defeitos
que comprovadamente não afetem as formas do sistema. É permitido o uso de uso Óring, a junta de
cabeçote e de livre marca e procedência.
4.2 - CABEÇOTE
Proibido uso de cabeçote importado. Permitido somente cabeçote do opala 6 cc. É permitido rebaixar
para obter a taxa. É permitido equalizar 5 das 6 câmeras de combustão sem alterar o formato da mesma
Os dutos de admissão e de escape devem permanecerem originais. Permitida a adição de materiais
vedadores ou solda somente para conserto de trincas ou defeitos que comprovadamente não afetem as
formas, e suas medidas. É proibido adicionar qualquer material, em qualquer formato que possa modificar
o funcionamento original, em especial a adição de modelos do tipo Lump Port. As válvulas devem ser do
tamanho original, podendo utilizar válvulas de inox, sendo que a de admissão na medida 44 mm e de
escape 38 mm, com tolerância de 0.2 m/m. Não é permitido alterar o no de válvulas, a posição e
localização. Permitida a alteração dos ângulos da sedes de válvulas até 8 mm. Permitido o embuchamento
das guias de válvulas ,material livre. Molas de válvulas, pratos e travas de livre procedência. Permitida a
adição de calços nas molas das válvulas. Taxa de compressão de no máximo 12:1, com tolerância até 12:5,

 

Incluindo a junta ou Oring. Permitido o retrabalho do cabeçote de 20 mm de admissão e escape a partir
da câmara de combustão.
4.3 – BALANCEIROS
4.3.1 Balanceiros – originais GM com relação de 1.75.
4.3.2 - Mola de válvulas- livre de marca e procedência.
4.3.3 - Vareta de válvulas -livre de marca e procedência.
4.4 – TUCHOS
É permitido o uso de tucho mecânicos livres de marca e procedência. É proibido o uso de tuchos com
diâmetro da base maior que o diâmetro do topo. É proibido uso de tuchos roletados.
4.5 - COMANDO DE VÁLVULAS
Obrigatório o uso do comando de válvulas do opala 250S. É obrigatório o uso do sistema motriz original
do comando de válvulas, ou seja engrenagens helicoidais de livre procedência. Não é permitido alterar a
posição do sistema de transmissão de movimento do comando de válvulas. Proibido uso de comando de
válvulas roletado.
4.6 - ÁRVORE DE MANIVELAS Obrigatório o uso da árvore de manivelas original com curso de 89,7 mm c/
tolerância de 0,1 mm (um décimo de mm). Não é permitido qualquer retrabalho nos contrapesos a não
ser furos p/ balanceamento. Permitido o balanceamento. Permitido furar a ponta da árvore, para única e
exclusivamente colocação de um parafuso de fixação do cubo da polia.
4.7 - DÂMPER (COMPENSADOR HARMÔNICO) permitido uso de Dâmper livre de marca e procedência.
4.8 - VOLANTE DO MOTOR Volante do Motor-Original GM sem nenhum retrabalho ou aliviamento. É
proibido o uso de FLEX PLAYTE.
4.9 – PISTÕES
Pistão livre procedência e marca até o diâmetro de 3.7/8 pol. até 0.60 pol. Permitido retrabalho na cabeço
do pistão (DOME) para obter taxa, sendo permitido fazer cavas de válvulas. Pinos de pistão e anéis de
segmento livres.
4.10 – BIELAS
Originais GM do Opala ou Silverado nas medidas 5,7 pol. ou 6 pol. Proibido o uso de bielas de alumínio,
ou titanium. Só é permitido o uso de bielas de aço, no peso igual ou superior a 546 gramas.

4.11 – BRONZINAS
Bronzinas de bielas e mancais: Livre.
4.12 - SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
Obrigatório o uso de carburador da linha de montagem do Opala 6cil.
Modelo ( Weber 446 =  H34 livres de marca e procedência ). Preparação interna livre, Permanecendo as borboletas no seu
diametro original. Permitido o uso de massa epóxi ou equivalentes nas partes exteriores do carburador.
Permitida colocação de um espaçador entre o coletor e o carburador de no máximo 4cm de altura.
Permitido uso de tela no carburador. Coletor de admissão original de cada modelo de carburador.
4.13 - BOMBA DE COMBUSTÍVEL
Bomba de combustível livre sendo que não esteja no interior do habitáculo. É permitido uso de no
máximo duas bombas ligadas em paralelo com uma única linha de combustível.


ARTIGO 5 - EMBREAGEM
Original, permitido o uso de disco de cerâmica. É proibido o uso de embreagem multi disco. Permitida a
utilização de embreagem hidráulica.


ARTIGO 6 - ESCAPAMENTO
6.1 - Coletor de escapamento livre, com o diâmetro Maximo dos tubos da aranha de 42mm , sendo
proibido o uso de aço inox. No caso de saída para trás, os orifícios dos tubos de escapamento deverão
situar- se a uma altura de forma que, nenhuma parte suspensa do carro toque o solo quando um dos
pneus esvaziar.


ARTIGO 7 - SISTEMA DE ARREFECIMENTO
7.1 - Radiador livre sendo que na fixação original. Bomba d‟agua e polia original com acionamento por
correia, sendo proibido uso de bomba d‟agua com acionamento elétrico.


ARTIGO 8 - COMBUSTÍVEL
8.1 - O único combustível permitido será álcool, sendo permitido a compra fora do autodromo
8.2 - TANQUE DE COMBUSTÍVEL Obrigatório o uso do tanque original do Opala modelo 89/90 de 85
(oitenta e cinco) litros, ou tanque de inox ou alumínio idêntico ao original também incluindo fixações.
IMPORTANTE: Em nenhum momento poderá ocorrer vazamento de combustível.

 

É obrigatória a mudança da posição do bocal de abastecimento do tanque de combustível para a
parte interna da porta malas, devendo ser fixado de maneira resistente e seguro, com material livre. Para
realizar essa modificação, não é obrigatório utilizar todos os elementos de tubulação e mangueiras
do reservatório original do veículo, inclusive do bocal original. É obrigatória a instalação de um catch tank
e um bujão de escoamento na parte mais baixa do tanque de combustível, a fim de facilitar a drenagem
É opcional o uso de espuma ou quebra ondas dentro do tanque.


ARTIGO 9 - LUBRIFICAÇÃO
9.1 – Sistema de lubrificação original,não e permitido aumentar a capacidade do carter. Opcional o uso
de respiros suplementares, que deverão ser soldados no cárter do óleo, devendo terminar no
recuperador do óleo. Permitido adicionar arruelas na mola limitadora de pressão, a fim de aumentar única
e exclusivamente o fluxo do óleo. Proibido o uso de Bomba de Óleo externa. Óleo do motor: Livre de
marca e procedência.
9.2 – Permitido o uso de defletores no cárter, para limitar a ação centrífuga do óleo. Proibido a utilização
de carter seco.
9.3 – É proibido o uso de radiador de óleo no motor e de bomba e radiador de óleo para o diferencial.


ARTIGO 10 - SISTEMA ELÉTRICO
10.1 – Modulo de ignição original.
10.2 – Distribuidor
Distribuidor original. Obs. É proibido a utilização de ignição mapeada
10.3 – Velas de ignição livres de marca e procedência. Os cabos de velas serão de livre procedência.
10.4 – Bobina
Livre nacional. Sua posição poderá ser instalada no compartimento do motor ou no habitáculo.
10.5 – Motor de partida Original.
10.6 – Alternador livre de marca e procedência nacional. A correia de transmissão do movimento é livre.
10.7 – Bateria livre de marca e procedência, devendo ser fixada por pelo menos 4 parafusos M10.
10.8 – Chicote elétrico livre.
10.9 – O sistema de iluminação

A traseira deverá ter 2 (dois) focos de luz, cada uma localizada na posição original do veículo, sendo
obrigatório o uso das lanternas originais. Obrigatório o uso de 2 (dois) focos de luz tipo break light na
parte interna do vidro traseiro para luz de CHUVA. Ambas atuantes quando solicitadas.


ARTIGO 11 - TRANSMISSÃO PARA AS RODAS
11.1 – É obrigatório o uso de caixas de cambos originais da linha GM é obrigatório o uso da macha Ré
11.2 – DIFERENCIAL
Original da linha Opala, sendo as relações de coroa e pinhão livre
11.3 – A montagem de todo conjunto do eixo traseiro deverá ser obrigatoriamente original. Todos os
componentes internos e externos do eixo deverão ser obrigatoriamente originais, podendo fazer
a troca do flange do pinhão de parafuso por grampo, sem nenhum trabalho, excluindo-se os necessários
para a adaptação do freio a disco. A montagem do eixo traseiro no veículo deverá ser feita mantendo-se
obrigatoriamente todas as formas e conceitos originais, não podendo ser utilizado uniball ou
rolamentos nas barras de alinhamento e bandejas. Proibido fazer cambagem no eixo traseiro.
11.4 – Proibido o uso de BLOCANTE e BARRA PANHARD
11.5 – (CARDAN)
Deverá obrigatoriamente ser totalmente em aço, pintada na cor BRANCA e com peso mínimo de 6.5 kg.
As (cruzetas) deverão ser de aço, de livre procedência e seu sistema de fixação é livre. É obrigatório o uso
de duas (2) travessas ou cintas de aço, localizadas, uma na dianteira e outra na traseira do túnel central,
firmemente fixadas à estrutura principal do veiculo, que fiquem em volta da arvore de transmissão de
forma tal a evitar sua queda em caso de ruptura das juntas de união com o cambio, diferencial ou outra
sessão da arvore.


ARTIGO 12 – SUSPENSÃO E DIREÇÃO
12.1 –Molas LIVRES nacionais. Permitido o uso de calços nas molas para correção de altura do veiculo
(material livre).
12.2 – Manga do eixo dianteiro originais do Opala.
12.3 – AMORTECEDOR = Livre de marca e procedência
12.4 - Barra estabilizadora
Livre da linha de montagem do opala
12.5 – Barra estabilizadora – traseira

Original da linha de montagem do Opala, sendo opcional seu uso.
12.6- Caixa de direção:
Original, sendo opcional o uso da caixa de direção hidráulica com acionamento elétrico, sem alterar
seu ponto de fixação, bem como seu sistema de barramento que deverá manter-se original do OPALA
12.7 – BUCHAS
Permitido o uso de buchas de PU na suspensão dianteira e traseira.
12.8 – BATENTES DA SUSPENÇÃO
É opcional o uso de batente na suspensão dianteira e traseira, quando usado tem que ser de formato e
dimensões originais


ARTIGO 13 - FREIOS
13.1 – É obrigatório o uso de,2(dois) cilindros mestres, com dispositivo que permita assegurar a ação
simultânea sobre as quatro rodas, com ação dividida, um para as rodas dianteiras e outro para as rodas
traseiras (mas não em “X”).
13.2 - Pedaleira livre de marca e procedência.
13.3 – Pastilhas de Freio somente nacional.
13.4 – Hidro vácuo: permitida a retirada.
13.5 – Tomadas de ar:
Permitida a utilização para o arrefecimento dos freios na parte frontal e lateral do veículo, de dimensões
livres, sendo que as mangueiras que estejam localizadas dentro do habitáculo do piloto, deverão estar
firmemente fixadas
13.6 - Discos -Traseiros LIVRES de procedência nacional.
13.6 – Válvulas limitadoras
Permitido o uso de válvulas limitadores ou proporcionadoras (equalizadoras) de livre procedência
e marca.
13.7 – Tubulações: permitida a substituição dos condutos e fixação do freio dianteiro e traseiro, por Aero
Quip .
13.8 – Pinças de freio:

Permitido qualquer pinça de freio nacional para dianteira ou traseira, pastilha livre nacional e disco livre
nacional.
É proibido o uso de mais de uma pinça de freio em cada roda.


ARTIGO 14 - RODAS E PNEUS
14.1 – Rodas: obrigatório o uso de rodas nacionais aro 16 x 7” modelo HONDA NEW CIVIC
14.2 Serão permitidos Pneus Pirelli 205 x 60 x 16, modelo PHANTON e MICHELIN 205 X 60 X 16 modelo
PRIMACY 3 com altura minima de 1mm acima do TWI.
Não é permitido pneus recauchutados, riscados e remodelados.
14.3 – Alargador:
É permitido o uso de alargadores traseiros e dianteiros com a espessura máxima de 20 mm.


ARTIGO 15 - EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA
15.1 – Os dutos de combustível não podem passar através do interior do carro. Os dutos de óleo poderão
passar pelo habitáculo, mas nenhuma poderá ter quaisquer conexões intermediárias, ambas tubulações
deverão ter conexões do tipo aeroquip em suas extremidades, ambas devem estar firmemente fixadas.
15.2 – Cinto de segurança: é obrigatório a instalação de cinto de segurança, com no mínimo 05(cinco)
pontos, com fixação no assoalho através de parafusos, arruelas e porcas de aço de 8(oito)mm de
diâmetro, com arruelas de no mínimo 40 (quarenta)m/m, de diâmetro, sendo uma interna e outra
externa, ancorados na fixação original do veículo, se fixado no assoalho, deverá ser montado sobre uma
placa de 10x12cm. Proibido fixação na placa corta-fogo traseira.
15.3 – Extintores: capacidade mínima: 4 Kg pó químico. Instalação: cada extintor deve ser instalado de tal
maneira que não permita a sua retirada ou deslocamento, devendo possuir tubulação de cobre ou
material semelhante, que permita, quando do seu acionamento distribuir o agente do extintor dentro do
veículo, sobre o carburador e o tanque de combustível. O extintor nacional é obrigatório á instalação no
sentido vertical. Funcionamento: o piloto sentado normalmente no banco ao volante e com cinto de
segurança atado, deve ser capaz de disparar o sistema. O dispositivo de disparo externo deverá estar
posicionado preferencialmente próximo à coluna dianteira ao lado direito e deve estar sinalizado com a
letra “E” pintada em cor preta sobre o círculo vermelho. O sistema deve funcionar em qualquer posição,
mesmo com o carro capotado.
15.4 – Santo Antonio: os pontos de fixação das barras de proteção na carroceria, devem ser reforçados
com uma sapata de chapa de aço de pelo menos 3mm de espessura. Permitido aumentar o número de
porcas ou soldas na carroceria as bases de aço das barras de proteção. A curvatura mínima dos tubos é

de no mínimo 3 (três) vezes o diâmetro do tubo. Caso sejam usadas conexões removíveis na construção,
elas devem estar de conformidade ou serem semelhantes ao aprovado pela FIA. Os parafusos e porcas de
fixação deverão ser de aço e ter diâmetro de 8mm, e ser da melhor qualidade possível. Cada equipe pode
construir seu Sto. Antônio, desde que dentro das especificações descritas e con desenho descrito no anexo
J da FIA.
15.5 - Espelhos retrovisores: todos os carros deverão possuir um mínimo de 3 (três) espelhos montados
de forma que o piloto possua visibilidade para trás do carro e a ambos os lados do mesmo. Estes espelhos
serão: Dois espelhos externos e um interno, sendo todos livres, porém o interno sugerimos que seja do
tipo panorâmico. Os Comissários Técnicos deverão verificar através de uma demonstração prática, que o
piloto sentado normalmente, pode definir claramente veículos que estão seguindo seu carro. Para esse
propósito, o piloto deverá identificar qualquer letra ou número de 150 mm de altura e 100 mm de largura,
colocadas em uma placa em qualquer lugar atrás do carro; as posições nas quais podem ficar são: - Altura:
entre 400 mm e 1000 mm do chão. - Largura: 2000 mm a cada lado do eixo de simetria do carro. - Posição:
10000 mm atrás do centro das rodas traseiras.

 

ADENDO 001/2018 – REGULAMENTO TECNICO – CAT. OPALA LDA

 

Conforme norma do Conselho Técnico Desportivo do Automobilismo, sobre adendos, segue abaixo o adendo de número 001/2018 a ser colocado em vigor:

 

ALTERAR A ESCRITA DESTES ITENS PARA:

 

ARTIGO 1 VEÍCULOS E MODIFICAÇÕES PERMITIDAS


1.1 – VEÍCULOS ADMITIDOS

Opala 2 e 4 portas e caravan, fabricados de 1974 a 1992.                    

Esta categoria terá 02 (duas) sub-categorias;                                                                                                                                                                                                                                                             Categoria A, opala e caravan com motores 06 (seis) cilindros.                                                          

Categoria B, opala e caravan com motores 04 (quatro) cilindros.               

                                               

ARTIGO 2 - CARROCERIA E DIMENSÕES

2.3 – DIMENSÕES

OPALA;
Comprimento máximo de 4.738 mm, bitola dianteira máxima 1.420 mm e Bitola traseira máxima 1.398 mm. Distância entre eixos mínima de 2.667 mm (com caster  zerado).

CARAVAN;
Comprimento máximo de 4.812 mm, bitola dianteira máxima 1.432 mm e Bitola traseira máxima 1.410 mm. Distância entre eixos mínima de 2.667 mm (com caster  zerado),

 

ARTIGO 3 - PESO.

3.1- Fica estabelecido que o  peso mínimo total dos veículos, em ordem de marcha, com o piloto, com lubrificantes do motor e câmbio, fluído de freio, liquido de arrefecimento e combustíveis nos níveis em que terminarem as tomadas de tempo e provas, será o seguinte;                                                                                                                                                     

Para opala e caravan com motores 04 cilindros, 1.000 (um mil quilos)                                                   

Para opala e caravan com motores 06 cilindros, 1.200 (um mil e duzentos quilos)

 

.ARTIGO 4 – MOTOR

4.1 - BLOCO DO MOTOR
Bloco do Motor- 6 cilindros  (4.1) Opala ou Silverado,  4100 cc.,                                                                       

Bloco do Motor- 4 cilindros, (151) opala, caravan, C-10, 2.500 cc,. 

 

4.2 - CABEÇOTE
Proibido  o uso de cabeçote importado. Permitido somente cabeçote do opala 4il. do motor 151 e 6 cil; 4.1 (ferro fundido).  É permitido rebaixar para obter a taxa. É permitido equalizar 3 das 4 camaras  de combustão nos 4 cilindros e 5 das 6 câmeras de combustão nos 6 cilindros  sem alterar o formato da mesma.

 

4.5 – COMANDO DE VÁLVULAS;                                                                                                           

Livre de marca e procedência com graduação até 278 graus. Obrigatório o uso do sistema motriz original do comando de válvulas, ou seja, engrenagens helicoidais de livre procedência. Não é permitido alterar a posição do sistema de transmissão de movimento do comando de válvulas. Proibido o uso de comando de válvulas roletado.

 

4.6 - ÁRVORE DE MANIVELAS – MOTORES 6 CILINDROS, Obrigatório o uso da árvore de manivelas original com curso de 89,7 mm c/ tolerância de 0,1 mm (um décimo de mm).

 

4.6.1 - ÁRVORE DE MANIVELAS - MOTORES 4 CILINDROS, Obrigatório o uso da árvore de manivelas original com curso de 76.2 mm c/ tolerância de 0,1 mm (um décimo de mm).

 

4.9 – PISTÕES
Motores 06 cilindros, Pistão livre procedência e marca até o diâmetro de 3.7/8 pol. até 0.60 pol. Permitido retrabalho na cabeça do pistão (DOME) para obter taxa, sendo permitido fazer cavas de válvulas. Pinos de pistão e anéis de segmento livres

.
Motores 04 cilindros, Pistão livre procedência e marca até o diâmetro de 4 pol. até 0.60 pol. Permitido retrabalho na cabeça do pistão (DOME) para obter taxa, sendo permitido fazer cavas de válvulas. Pinos de pistão e anéis de segmento livres.                                                                                                      

Devem ser mantidos o número, a ordem e o princípio de funcionamento dos anéis do motor original.

                                                                                                                           

4.10 – BIELAS
Originais GM do Opala ou Silverado nas medidas 5,7 pol. ou 6 pol. Proibido o uso de bielas de alumínio, ou titanium. Só é permitido o uso de bielas de aço, no peso igual ou superior a 546 gramas.

 

4.12 - SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
Obrigatório o uso de carburador da linha de montagem do Opala 4/ 6cil. modelo  ( Weber 446,  H34, e 3E, livres de marca e procedência ). Preparação interna livre, permanecendo as borboletas no seu diâmetro  original. Permitido o uso de massa epóxi ou equivalentes nas partes exteriores do carburador.


Permitida colocação de um espaçador entre o coletor e o carburador de no máximo 4 cm de altura. Permitido uso de tela no carburador. Coletor de admissão é livre. Permitido o  uso de carburador  weber 40, sendo que o venturi pode ser aberto até 32 mm, permanecendo as borboletas sem nenhum retrabalho. Para carburadores weber, o coletor fica livre de marca e procedência e é permitido usar uma base entre o coletor e o carburador de no máximo 2 cm de espessura, sendo o seu material livre .
 

 

ARTIGO 8 - COMBUSTIVEL

8.1 – Será permitido o uso de  álcool e gasolina, sendo proibido  a compra fora do autódromo.

 

ARTIGO 11 - TRANSMISSAO PARA AS RODAS

11.1 – E obrigatório o uso de caixas de cambios originais da linha GM e obrigatório o uso da marcha rè.

11.4 –  É permitido o uso de blocante, livre de marca e procedência.

 

ESTE  ADENDO FOI APROVADO PELO  CTDA  (Conselho Técnico Desportivo  do Automobilismo)

 

LIGA DESPORTIVA DE AUTOMOBILISMO

 

PRESIDENTE DA LDA- ERNESTO ALBERTO DE COSTA E SILVA             

 

 

 CONSELHEIRO – CARLOS RIBEIRO

 

 

CONSELHEIRO – ALEXANDRE VACCARI

 

 

SÃO PAULO,  03  DE  ABRIL  DE 2018